sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

A casa e seu dono

ESSA É A CASA DE CACO

QUEM MORA NELA É O MACACO.

 

ESSA CASA TÃO BONITA

QUEM MORA NELA É A CABRITA.

 

ESSA CASA É DE CIMENTO

QUEM MORA NELA É O JUMENTO.

 

ESSA CASA É DE TELHA

QUEM MORA NELA É A ABELHA.

 

ESSA CASA É DE LATA

QUEM MORA NELA É A BARATA.

 

ESSA CASA É ELEGANTE

QUEM MORA NELA É O ELEFANTE.

 

E DESCOBRI DE REPENTE

QUE NÃO FALEI EM CASA DE GENTE.

                               Elias José

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Vamos brincar?

O Gatinho Pipo

Era uma vez um gatinho chamado Pipo.
Um dia ele acordou com muita preguiça (esticar braços e pernas).
Mamãe gata já estava chamando e ele teve de pular da cama.
Ele saiu correndo para atender a mamãe (correr). 
Saiu com tanta pressa que bateu com o pé na mesa (pular num pé só). 
Depois que o pé parou de doer, ele saiu a passear (quadrupedar) e não prestou atenção nos carros que passavam, quase foi atropelado se não tivesse pulado para trás (quadrupedar para trás). 
Pipo ficou nervoso e começou a tremer (tremer).
Voltou correndo para casa.(quadrupedar correndo) e se deitou novamente (deitar). 
Pipo aprendeu a lição e agora cada vez que sai a rua olha para todos os lados (movimento do pescoço).

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Ou isto ou aquilo

OU SE TEM CHUVA E NÃO SE TEM SOL,
OU SE TEM SOL E NÃO SE TEM CHUVA!

OU SE CALÇA A LUVA E NÃO SE PÕE O ANEL,
OU SE PÕE O ANEL E NÃO SE CALÇA A LUVA!

QUEM SOBE NOS ARES NÃO FICA NO CHÃO,
QUEM FICA NO CHÃO NÃO SOBE NOS ARES.

É UMA GRANDE PENA QUE NÃO SE POSSA
ESTAR AO MESMO TEMPO NOS DOIS LUGARES!
OU GUARDO O DINHEIRO E NÃO COMPRO O DOCE,
OU COMPRO O DOCE E GASTO O DINHEIRO.

OU ISTO OU AQUILO: OU ISTO OU AQUILO...
E VIVO ESCOLHENDO O DIA INTEIRO!

NÃO SEI SE BRINCO, NÃO SEI SE ESTUDO,
SE SAIO CORRENDO OU FICO TRANQÜILO.

MAS NÃO CONSEGUI ENTENDER AINDA


QUAL É MELHOR: SE É ISTO OU AQUILO.


Cecília Meirelles

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Dumbo

Um filme que faz parte da infância de várias gerações. Trago para vocês este clássico universal.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Dumbo

Dumbo é um filme estadunidense do gênero animação produzido pela Disney com sua estreia em 23 de outubro de 1941. É o quarto longa-metragem de animação dos estúdios Disney, fazendo parte da lista de clássicos da Disney. 
Data de lançamento: 17 de novembro de 1941 (Brasil)
Direção: Ben Sharpsteen, Wilfred Jackson, Norman Ferguson, Jack Kinney, Bill Roberts, John Elliotte, Samuel Armstrong
Duração: 1h 4m
Elenco: Hall Johnson Choir
Música composta por: Oliver Wallace, Frank Churchill, Lance Husher.

  
Era uma vez, num país muito distante, um grandioso circo onde havia muita diversão e alegria. Numa noite, todos os animais olhavam para o céu, impacientes, pois sabiam que era nessa noite que chegavam os seus bebés. Todos os animais recebiam os seus filhotes e a senhora Jumbo olhava para o céu, mas nada aparecia no horizonte. Porém, quando já estava a preparar-se para dormir, chegou uma cegonha muito bonita e muito cansada que trazia o seu elefantezinho bebê.

A senhora Jumbo ficou louca de felicidade e decidiu chamar-lhe de Dumbo. Enquanto todas as senhoras elefantes davam as boas vindas ao pequenote, o pequeno Dumbo soltou um espirro tão forte, tão forte que nesse momento as suas orelhas abriram. Eram enormes!!! As senhoras elefantes começaram a troçar com o pobre Dumbo. A mãe Jumbo muito irritada com a atitude das suas amigas, mandou-as sair da jaula e disse ao seu filhote que ele era o bebé elefante mais bonito do mundo.

No dia seguinte, o circo teve que se deslocar para outra cidade. O pequeno Dumbo, com toda a força que tinha, ajudou a erguer a tenda e a preparar o circo. Iria ocorrer, na manhã seguinte, o desfile de abertura e o director ordenou que todos vestissem roupa de gala já que o dia era de festa!

Durante todo o desfile, Dumbo ia com a sua tromba agarrada ao rabo da mãe. Mas, infelizmente, pisou uma das suas orelhas gigantes e mergulhou num charco de lama. Os meninos que estavam a ver o espetáculo, soltaram grandes gargalhadas e fizeram troça do pequeno elefante. Um deles agarrou Dumbo pelas orelhas e começou a puxá-las. A mãe Jumbo ficou furiosa e com a sua tromba empurrou o menino e bateu-lhe. Todas as pessoas ficaram apavoradas porque pensavam que a mãe Jumbo estava descontrolada. Os homens responsáveis pelo circo prenderam-na e levaram-na para uma jaula. De toda aquela situação, o que custava mais à mãe Jumbo era estar afastada do seu filhote.

As senhoras elefantes agiram como se Dumbo não existisse. Ele sentia-se sozinho e desamparado. Porém, apareceu o ratinho Timóteo, que deu um raspanete às senhoras elefantes más e prometeu a Dumbo ajudá-lo em tudo o que fosse preciso. E, como tal, arranjou um espectáculo fantástico em trampolim para Dumbo.

No dia do novo espetáculo, o circo estava cheio de gente. Todas as pessoas esperavam ansiosas para ver os elefantes e pequena Dumbo. Porém, no momento em que Dumbo preparava-se para saltar no trampolim, as suas grandes orelhas envolveram-se nas patas e ele rolou pelo chão.

O diretor ficou furioso e ordenou que Dumbo passasse à categoria de palhaço. Os palhaços criaram um espetáculo especial, em que Dumbo tinha que saltar do cimo de um edifício que estava em chamas e mergulhar numa prancha de salvamento cheia de água. Era uma autêntica humilhação para o elefantezinho, mas o público delirava com este número.

Dumbo estava cada vez mais triste. Para o reconfortar, Timóteo, o ratinho amigo do pequeno elefante, arranjou maneira de ajudá-lo a ir à jaula da mãe Jumbo para que o seu filhote ficasse mais contente e ele e a sua mãe pudessem matar todas as saudades. No regresso, como estava um dia de muito calor, decidiram dormir uma sesta ao ar livre.

No dia seguinte, bem de manhãzinha, Timóteo acordou com uns corvos a troçar com eles. Timóteo não achou piada nenhuma à brincadeira, mas quando viu que estava em cima de uma árvore juntamente com Dumbo, gritou desesperado – “DUUMMBOO!!” – este acordou muito sobressaltado e caiu da árvore desamparado. O ratinho perguntou aos corvos o que se tinha passado e eles disseram que Dumbo tinha voado com as suas orelhas gigantes para cima da árvore. Timóteo teve naquele momento a certeza de que era a grande oportunidade de Dumbo e decidiu, juntamente com os corvos, dar-lhe uma pluma mágica dizendo que essa pluma tinha o poder de voar e que com ela poderia voar no número com os palhaços durante o espectáculo.

Na hora do espetáculo, Dumbo foi para o cimo do edifício, tal como fazia nas outras vezes. Timóteo deu-lhe a pena voadora e disse-lhe para não ter medo. Dumbo saltou, mas como estava muito nervoso, deixou escapar a pluma. Neste momento, Timóteo grita-lhe bem alto – “DUMBO, não tenhas medo! Não precisas da pluma para voar, voa com as tuas orelhas!”. Nesse mesmo instante, as grandes orelhas do pequeno elefante elevaram-se para o ar! Ficaram todos tão maravilhados que aplaudiram de pé o pequeno Dumbo. A partir de agora, Dumbo iria ser a grande atração do circo!

No final do espetáculo, Timóteo e Dumbo exigiram que o diretor soltasse a mãe Jumbo e para que esta continuasse no circo. Assim foi, e a mãe ficou muito orgulhosa do seu filho porque com as suas orelhas gigantes, Dumbo tornou-se famoso, passando a ser a estrela com maior sucesso e mais importante de todos os circos.






segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Construção do conhecimento:



A construção do conhecimento ocorre quando acontecem ações físicas ou mentais sobre objetos que, provocando o desequilíbrio, resultam em assimilação ou, acomodação e assimilação dessas ações e, assim, em construção de esquemas ou conhecimento. Em outras palavras, uma vez que a criança não consegue assimilar o estímulo, ela tenta fazer uma acomodação e após, uma assimilação e o equilíbrio é, então, alcançado. 

Esquema:

Autores sugerem que imaginemos um arquivo de dados na nossa cabeça. Os esquemas são análogos às fichas deste arquivo, ou seja, são as estruturas mentais ou cognitivas pelas quais os indivíduos intelectualmente organizam o meio.
São estruturas que se modificam com o desenvolvimento mental e que tornam-se cada vez mais refinadas à medida em que a criança torna-se mais apta a generalizar os estímulos.
Por este motivo, os esquemas cognitivos do adulto são derivados dos esquemas sensório-motores da criança e, os processos responsáveis por esses mudanças nas estruturas cognitivas são assimilação e acomodação.


Assimilação:

É o processo cognitivo de colocar (classificar) novos eventos em esquemas existentes. É a incorporação de elementos do meio externo (objeto, acontecimento, ...) a um esquema ou estrutura do sujeito.
Em outras palavras, é o processo pelo qual o indivíduo cognitivamente capta o ambiente e o organiza possibilitando, assim, a ampliação de seus esquemas.
Na assimilação o indivíduo usa as estruturas que já possui. 

Acomodação:

É a modificação de um esquema ou de uma estrutura em função das particularidades do objeto a ser assimilado.
A acomodação pode ser de duas formas, visto que se pode ter duas alternativas:
  • Criar um novo esquema no qual se possa encaixar o novo estímulo, ou
  • Modificar um já existente de modo que o estímulo possa ser incluído nele.
Após ter havido a acomodação, a criança tenta novamente encaixar o estímulo no esquema e aí ocorre a assimilação.
Por isso, a acomodação não é determinada pelo objeto e sim pela atividade do sujeito sobre este, para tentar assimilá-lo.
O balanço entre assimilação e acomodação é chamado de adaptação.


Equilibração:

É o processo da passagem de uma situação de menor equilíbrio para uma de maior equilíbrio. Uma fonte de desequilíbrio ocorre quando se espera que uma situação ocorra de determinada maneira, e esta não acontece. 


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Zootipia: Essa cidade é o bicho.



 Lançamento: 18/02/2016.

Gênero: Família, comédia, animação.

Nacionalidade: EUA.

Distribuídor: Disney  Buena Vista.

Ano de Publicação: 2015.


Snopse:

Nicky Wilde é acusada por um crime e foge. A melhor policial segue o rastro fazendo justiça absolvendo Nicky, mas os dois inimigos unirão-se ao serem vítimas de uma grande armação.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Livro Ilustrado Hanna Barbera 1978

Navegando na internet achei este livro ilustrado da Hanna Barbera de 1978, ano em que eu tinha 02 anos, Era apaixonada por esses personagens e não perdia um só no Mundo da criança na extinta Tv Manchete. Hoje vendo as figurinhas percebo o quanto envelheci mas não deixei minha criança morrer.

Vamos relembrar ou conhecer este maravilhoso livro ilustrado.




































segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Brincadeiras do passado que ainda encantam as crianças de hoje.

   Brincar tem uma importância absurda nos processos de desenvolvimento humano. As brincadeiras de infância constituem o reflexo dos desafios da vida adulta. Portanto, é necessário que as Instituições de ensino e organizações que lidam com crianças e adolescentes tenham essa consciência e tragam de volta à vida das crianças brincadeiras, dinâmicas, gincanas e atividades lúdicas em geral. Os benefícios da brincadeira, sobretudo na vida da criança, são gigantescos e, em sua maioria, desconhecidos pela sociedade. É de conhecimento de poucos que a brincadeira está entre os exercícios físicos mais completos de todos, e é também através dela que agregamos valores e virtudes à nossa vida.
     Essa falta de valorização do brincar contribuiu para a realidade que vivemos hoje em dia: as brincadeiras estão entrando em extinção, as Instituições de Ensino estão deixando de lado as aulas de Educação Física Escolar, os pais estão proibindo seus filhos de brincar e o Governo pouco ou nada faz para que esse quadro se reverta. O resultado é lastimável, hoje em dia um número enorme de crianças está perdendo a infância, enclausuradas dentro de suas casa, na frente de computadores e videogames.
     Espero que as brincadeiras sejam úteis e conto com a ajuda de meus queridos leitores para dar uma infância mais feliz às nossas crianças. E também não podemos nos esquecer do quão importante e saudável é que os adolescentes e adultos também brinquem, afinal, todos nós temos uma criança dentro da gente e está mais que comprovado que brincar é uma fantástica terapia. Portanto, fica registrado o apelo: Vamos Brincar! 

Obs: Transcrevi da maneira que lembro da minha infância mas calma leitores podem haver outras variações.

CHICOTINHO QUEIMADO
Uma criança esconde o chicotinho queimado, que pode ser qualquer objeto fino e comprido, enquanto as demais olham para trás. Depois de esconder, o jogador diz: "Chicotinho queimou". Aí, todos vão procurar o chicotinho. Se tiver mais distante, quem escondeu o chicotinho dirá que ela está fria. Se mais perto, dirá que está quente. Dirá também que está esquentando ou esfriando conforme a que estiver mais próxima se distancia ou se aproxima do chicotinho queimado. "Estar pelando" é estar muito perto do chicotinho. Quem achar o chicotinho queimado sairá correndo batendo com ele nos demais até estes chegarem a uma ronda. Quem achou é quem irá escondê-lo da próxima vez.

 CHICOTINHO CANTADO
O mesmo objetivo do "Chicotinho Queimado". A única diferença é que, ao invés de falar quente/frio, a pessoa deverá cantar uma música. Se tiver mais distante, quem escondeu o chicotinho cantará baixo. Se mais perto, cantará alto. O volume da voz irá variar conforme a proximidade dos participantes. As demais regras são as mesmas.

PETECA
Determina-se um espaço, dividido ao meio por um traço. Cada jogador se locomove por todo o espaço, até a linha divisória, na tentativa de rebater a peteca para o outro lado. Se ela cair no seu próprio lado, o adversário marca um ponto; se sair do espaço delimitado é considerado "fora" e não há penalidades para nenhum dos dois. Pode-se determinar um número de pontos e quem o atingir será o vencedor, enquanto o perdedor cederá a vez a outro participante. A peteca pode ser qualquer coisa que tenha mais ou menos o mesmo formato e pode ser feita com papel.

CARRINHO DE MÃO
Trace duas linhas no chão, uma de largada e outra de chegada. Os participantes dividem-se em pares e se colocam atrás da linha de largada. Todos contam até três e um corredor de cada dupla se abaixa, estica as pernas para trás e apoia as mãos no chão. O outro corredor levanta as pernas do parceiro e as duplas começam a correr, um com os pés e o outro com as mãos. Quem cair volta à posição de largada. Vence quem chegar à linha de chegada primeiro.

PEGA-PEGA
Brincadeira de corrida cujo objetivo é tocar em alguém para transformá-lo em pegador. Quem for pego, pega.

PIQUE-VOLTA
Espécie de pega-pega, brincado em um espaço muito amplo e que tenha paredes nas duas extremidades. Quem for pego, deverá pegar a pessoa que lhe pegou antes que ela corra e toque no muro. Se o participante conseguir tocar no muro antes de ser pego, ele é quem pega, o que fará com que o pegador se transforme em vítima. Mas se ele for pego, deverá pegar quem lhe pegou antes que ele toque no muro e vire pegador. Vence quem tocar no muro mais vezes.

POLÍCIA E LADRÃO
Parecido com o pega-pega. Há dois grupos: o da polícia e o dos ladrões. O papel da polícia é pegar os ladrões e prendê-los em uma “cadeia”. O papel dos ladrões é salvar os companheiros (abrindo a porta da “cadeia”) e se proteger da polícia. Se a polícia prender todos, invertem-se os papéis.

ESCONDE-ESCONDE
Uma pessoa conta enquanto os outros se escondem. No fim da contagem, deve-se procurar quem está escondido. Se achar, corre até o local escolhido pra ser o batedouro e diz "1,2,3 fulano em tal lugar". Para se salvar, diz "1,2,3 salve eu". Quem ficar por último pode dizer "1,2,3 salve todos". Aí, a mesma pessoa que contou volta a contar. Caso contrário, quem foi achado primeiro é o próximo a contar e procurar.

DESAFIOS
Um mestre irá propor desafios aos súditos. Quem realizar primeiro, é o novo mestre e a brincadeira prossegue, sempre iniciando com “eu desafio vocês a fazem isso...” (qualquer coisa, no caso; dentro da moralidade, é claro)”.

DANÇA DAS CADEIRAS
Faz-se uma roda de cadeiras e outra de pessoas. Sendo que o número de cadeiras deve ser sempre um a menos. Toca-se uma música animada. Quando a música parar, todos devem sentar em alguma cadeira. Quem não conseguir sentar, é eliminado e tira-se mais uma cadeira. Ganha quem sentar na última cadeira.

DANÇA DAS CADEIRAS COOPERATIVA
Disponha as cadeiras como você faz no jogo tradicional das cadeiras. O segredo do jogo é não eliminar nenhum participante, só cadeiras, ou seja, a cada rodada, você retira uma cadeira e ainda assim todos deverão sentar-se, como puderem: no colo, no braço da cadeira, deitado sobre os colegas, etc. Neste jogo não há vencedores.

DANÇA DAS CADEIRAS ALTERNATIVA
Várias cadeiras serão espalhadas pelo local da atividade. Em cima de cada uma delas, haverá uma bexiga. Todos estarão vendados e uma música animada deverá ser iniciada. Quando a música parar, eles deverão procurar uma cadeira, sentar e estourar a bexiga que tiver na cadeira, sendo guiados pelos jogadores da equipe que não estão participando. Sempre haverá uma cadeira a menos. Quem sobrar, é eliminado. O jogo prossegue até surgir o campeão.

TÁ COM QUEM
Os jogadores se colocam lado a lado e a vítima de costas para essa fileira. A vítima joga uma bola pra trás e alguém da fileira deve pegá-la e todos devem colocar suas mãos para trás, a fim de confundir a vítima, que deve dar um palpite sobre quem pegou o objeto. Se errar, faz de novo. Se acertar, quem for descoberto é a nova vítima.

JOGAR ÁGUA
Um pega-pega com água. Quem for molhado, molha e assim por diante.

CARIMBO
Um pega-pega com lama. Quem for carimbado, pega lama e carimba um outro, que deverá fazer o mesmo.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Atividades de férias

 Mês de brincadeiras e crianças em casa . Trago algumas atividades para vocês fazerem nas férias.

*Desenhar no computador usando o "paint" ou "Gimp" e depois imprimir os desenhos;
*Brincar de carimbo. Corte legumes como chuchu, batata, maçã em formatos variados como estrela, quadrado, círculo. Basta passarem guache no carimbo com pincel e carimbar formando desenhos;
*Confeccionar casinhas para bonecas. Os móveis você pode fazer com caixas de fósforo;
*Convide alguns amigos para uma tarde de lanche e jogos, filme, histórias, músicas;
*Visitar um amigo e levar um lanche e brinquedos;
*Preparar a festa de aniversário de uma boneca e convidar os amiguinhos, que cada um traga sua boneca também;
*Cabo de guerra.

Entre outras coisas.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Tag Perguntas Literárias.

Feliz ano novo!

Estou de volta cheia de saudades. E hoje vamos responder a tag Perguntas literárias que encontrei no blog BECO LITERÁRIO e que foi criada pelo blog COMO RESPIRAR.


1 – A capa mais bonita da sua estante
As Viagens de Gulliver de Jonathan Swift.

2 – Se pudesse trazer um personagem da ficção para a realidade, qual seria?
Cinderela.

3 – Se pudesse entrevistar um autor (a), qual seria?
Monteiro Lobato.

4 – Um livro que você não leria de novo? Por quê?
Não tenho um só livro que li que não leria novamente.

5 – Um casal?
Cinderela e o príncipe.

6 – Dois vilões
As madrastas da Cinderela e da Branca de neve.

7 – Um personagem que você mataria?
A madrasta da Cinderela.

8 – Se pudesse viver em um livro, qual seria?
O Pequeno Príncipe.

9 – Qual o maior e o menor livro da sua estante?
A Bíblia Sagrada ilustrada é o maior livro e o menor é O caso dos dez negrinhos de Agatha Christie.


Postagem em destaque

O pobre e o rico

Em tempos muito remotos, quando o bom Deus ainda andava pela terra entre os homens, certa tarde, após ter caminhado muito, sentiu-se can...